• 10 de outubro de 2018

    A política externa na eleição – Monitor 3: 13/09 a 26/09

    Equipe LABMUNDO, NEAAPE e OPSA

    Na terceira quinzena da corrida presidencial, Álvaro Dias (PODEMOS) voltou a fazer críticas à política externa dos governos do PT. No debate promovido por SBT, Folha de S. Paulo e UOL, em 26 de setembro, Dias se dirigiu a Henrique Meirelles, presidente do Banco Central entre 2003 e 2010, e afirmou que ele, como funcionário no governo de Lula, havia contribuído para alimentar “ditaduras corruptas e sanguinárias” com dinheiro brasileiro repassado pelo BNDES por meio de empréstimos e financiamentos1.

    Em entrevista ao Jornal da Globo, Ciro Gomes (PDT), ao comentar sobre o a Embraer, disse que a empresa lida com uma questão sensível “sob o ponto de vista da defesa, da segurança nacional, da engenharia brasileira, é um de dois lugares onde o Brasil ainda tem alguma potencialidade tecnológica, o petróleo, a Petrobras, e a Embraer”. Referindo-se às negociações de compra da Embraer pela Boeing, Ciro adotou um tom crítico: “dois produtos extraordinários foram desenvolvidos, estão na hora de renderem bilhões de dólares para o Brasil, e nós estamos permitindo – se isso se consumar, eu vou desfazer – que a Boeing feche a Embraer, que na verdade é o que ela pretende fazer: o KC-390, que é um supercargueiro, e o caça gripen, que houve uma raríssima – inédita na história do capitalismo – transferência para o Brasil de todo o pacote tecnológico, de maneira que isso não rompe contratos nem desfuncionaliza absolutamente nada da seriedade com que o Brasil deve continuar tratando suas relações internacionais”. 2

    A campanha do candidato petista, Fernando Haddad (PT), foi bastante agitada: além do périplo pelos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia, Santa Catarina, Minas Gerais, Recife e Pernambuco, Haddad enfrentou três sabatinas e participou de dois debates eleitorais organizados pela mídia. Não obstante a agenda movimentada, o tema da política externa foi pouco mencionado. A decisão do Comitê de Direitos Humanos da ONU em defesa dos direitos políticos de Lula foi lembrada com freqüência. O tom nacionalista foi reforçado com a proposta de fortalecimento da soberania e controle nacionais sobre as riquezas do país. Nesse diapasão, Haddad criticou a venda ao estrangeiro da Embraer, feita por um governo ilegítimo, sem consulta e diálogo com a sociedade e o Congresso. Dada a importância estratégica da empresa, o candidato petista prometeu reverter sua venda, caso haja meios jurídicos para tanto. Quando questionado sobre o emprego do Exército na segurança pública, Haddad asseverou que este não constitui o papel das Forças Armadas, que devem ser empregadas na defesa do território nacional e não como força policial. Por fim, referindo-se à onda de imigrantes venezuelanos ao Brasil, o candidato petista propugnou que nosso país deve manter a tradição de acolhimento de imigrantes e de preservação da paz.3

    Geraldo Alckmin (PSDB) praticamente não tratou da política externa. Entretanto, a propaganda eleitoral do candidato fez diversas relações entre a polarização na disputa presidencial entre Fernando Haddad (PT) e Jair Bolsonaro (PSL), afirmando que ambos gerariam um “risco de o Brasil se tornar uma Venezuela”4. Por fim, Alckmin afirmou, em 17 de setembro, durante coletiva de imprensa a agências internacionais e correspondentes estrangeiros na sede do PSDB, em Brasília, que era contra uma intervenção militar na Venezuela, mas defendeu que o Brasil abrisse novos canais de diálogo a fim de tentar ajudar a resolver a crise na nação vizinha5.

    Em entrevista à revista Exame, Guilherme Boulos (PSOL) reafirmou que um governo seu seria a favor do acolhimento de venezuelanos, através seja da concessão de refúgio, seja do provimento de trabalho. Baseando-se na Lei de Migração de 2017, afirmou que não se pode tratar o imigrante como uma ameaça à segurança nacional. Quanto à crise no país, Boulos novamente disse que o Brasil deve defender o respeito à soberania venezuelana6. Sobre a disputa comercial em andamento entre Estados Unidos e China, defendeu que o Brasil deve se posicionar protegendo sua soberania e a independência da sua política externa, sem qualquer tipo de subordinação a nenhum dos dois países. Por fim, voltou a enfatizar a importância da cooperação Sul-Sul para as relações externas brasileiras7.

    Jair Bolsonaro (PSL) continuou em internação hospitalar no período. Tendo feito apenas algumas transmissões ao vivo na internet e concedido uma entrevista à Jovem Pan, em nenhum momento fez menção a temas de política externa. Já o vice-presidente na sua chapa, General Hamilton Mourão, deu declarações pertinentes. Em um discurso feito no dia 17 de setembro, na sede do Secovi (Sindicato da Habitação), em São Paulo, Mourão criticou a política externa dos governos do PT, quando o país teria adotado a “diplomacia que foi chamada de Sul-Sul”. Classificou como “mulambada” os principais países que foram parceiros da cooperação com o Brasil, visto que essas relações não teriam resultado em nada e que, segundo ele, só teriam gerado dívidas. Argumentou ainda que a diplomacia que deve priorizar acordos bilaterais com os “grandes mercados, aqueles países que têm importância dentro do conselho das nações”.8

    Em entrevista ao G1 e à CBN9, João Goulart Filho (PPL) voltou a se opor ao uso das Forças Armadas na segurança pública. Na mesma oportunidade, disse que, se eleito, não limitaria a entrada de venezuelanos no Brasil; garantiu que não daria um calote na dívida externa; e defendeu medidas de proteção da indústria nacional, com mudanças nas tarifas alfandegárias para dificultar a importação de produtos que possam ser fabricados no país, especialmente por empresas brasileiras. De maneira geral, o candidato tem priorizado pautas internas, especialmente trabalhistas e da retomada da agenda de reformas de seu falecido pai.

    No dia 22, a revista Exame publicou uma entrevista com Marina Silva (REDE) sobre assuntos de política externa10. Na temática sobre a migração de venezuelanos para o Brasil, Marina afirmou que o país deve manter a tradição de país aberto a pessoas de todos os lugares e de solidariedade internacional; que a Venezuela vive hoje uma tragédia econômica, política e humanitária; e que o Brasil foi cúmplice da crise porque os governos anteriores apoiavam o chavismo. Marina pontuou que países com populações menores, como Colômbia, Equador, Peru e Chile, têm recebido mais refugiados que o Brasil e que acolher pessoas de outras culturas geralmente é positivo para a nação receptora no médio e longo prazo. A candidata também afirmou que a América Latina deve ser prioridade central na política externa brasileira e que os objetivos da integração com o subcontinente, como a prosperidade comercial, a democracia e os direitos humanos, devem ser resgatados. A respeito das negociações entre o Mercosul e a União Europeia, Marina declarou que, com um Mercosul livre de barreiras internas e modernizado, as negociações com a UE devem ser concluídas. Sobre os BRICS, afirmou que a política externa deve seguir promovendo a participação em esquemas plurilaterais de concertação e enfatizou a importância de mecanismos próprios de financiamento ao desenvolvimento. Ao ser questionada sobre a guerra comercial entre China e Estados Unidos e seus impactos sobre o Brasil, Marina respondeu que as relações com a China devem ser prioritárias pela magnitude das cifras e dos desafios, que o Brasil deve se atentar à pauta de exportação para substituir as indústrias de baixo custo por indústrias intensivas em conhecimento e para que os investimentos chineses sirvam para parceria, utilização de insumos locais, criação de capacidade de pesquisa e desenvolvimento e contratação de mão de obra brasileira. Por fim, ao responder sobre a importância do multilateralismo, Marina afirmou que o protagonismo brasileiro deve ser na atuação em organismos multilaterais, ao mesmo tempo em que busque a expansão de mercado para nossos bens e serviços em arranjos bilaterais.11

    Também em entrevista à revista Exame12, a candidata Vera Lúcia (PSTU) novamente adotou uma postura de solidariedade aos refugiados venezuelanos e de defesa da derrubada de Nicolás Maduro, assim como contra a direita que lhe faz oposição. Defendeu a instauração de um governo dos trabalhadores naquele país. Da mesma forma, reivindicou a aproximação e a integração da classe trabalhadora na América Latina, o que serviria como uma forma de se contrapor o Mercosul, que, à semelhança da União Europeia, seria um bloco a serviço do capital e das multinacionais – qualificação que também estendeu ao BRICS. A candidata pautou um desejo de rompimento com a ordem neoliberal internacional timoneada pelos EUA, substituindo-a pelo internacionalismo com base na solidariedade e na cooperação entre as classes trabalhadoras – e não mais entre governos.

    Não se pronunciaram sobre política externa: Cabo Daciolo (PATRIOTA), Henrique Meirelles (MDB), João Almoedo (NOVO) e José Maria Eymael (DC).

    1 FOLHA DE SAO PAULO. Eleições 2018: Vice-líder nas pesquisas, Haddad vira alvo de rivais em debate. 26/09/2018. Disponível em: https://aovivo.folha.uol.com.br/2018/09/26/5521-aovivo.shtml?utm_source=twitter&utm_medium=social&utm_campaign=twfolha. Acesso em: 26/09/2018.

    2 GLOBO. Ciro Gomes (PDT) é entrevistado no Jornal da Globo, 17/09/2018. Acesso em: 26/09/2018. Disponível em: https://globoplay.globo.com/v/7025310/.

    3 GAZETA DO POVO. Debate TV Aparecida com candidatos a presidente: acompanhe em Tempo Real, 18/09/2018. Disponível em: https://www.gazetadopovo.com.br/eleicoes/2018/debate-tv-aparecida-com-candidatos-a-presidente-acompanhe-em-tempo-real-8nzg710qo7i0cqlvtefvhqch0. Acesso em: 30/09/2018. PT. Assista: Haddad e Manu fazem caminhada por Vitória da Conquista, 15/09/2018. Disponível em: http://www.pt.org.br/assista-haddad-e-manu-fazem-caminhada-por-vitoria-da-conquista/. Acesso em: 30/09/2018. PT. Assista: Fernando Haddad participa de ato em Florianópolis, 18/09/2018. Disponível em: http://www.pt.org.br/__trashed-62/. Acesso em: 30/09/2018. PT. Assista: Fernando Haddad participa de sabatina na rádio CBN, 18/09/2018. Disponível em: http://www.pt.org.br/assista-fernando-haddad-participa-de-sabatina-na-radio-cbn/. Acesso em: 30/09/2018. PT. Assista: Haddad visita Centro de Monitoramento de Desastres, 20/09/2018. Disponível em: http://www.pt.org.br/assista-haddad-visita-centro-de-monitoramento-de-desastres/. Acesso em: 30/09/2018.

    4 O GLOBO. Após Alckmin, Bolsonaro usa ‘risco Venezuela’ em vídeo de campanha. Publicado em 30/09/2018. Acesso em 07/10/2018. Disponível em: https://oglobo.globo.com/brasil/apos-alckmin-bolsonaro-usa-risco-venezuela-em-video-de-campanha-23093572

    5 O GLOBO. Alckmin afirma ser contra intervenção militar na Venezuela, mas defende novos canais de diálogo. Publicado em 17/09/2018. Acesso em 07/10/2018. Disponível em: https://www.terra.com.br/noticias/brasil/alckmin-afirma-ser-contra-intervencao-militar-na-venezuela-mas-defende-novos-canais-de-dialogo,ef4ec0ef01658d56505369f40cd64d12jhzbpv84.html

    6 EXAME. O que os candidatos… 26/09/2018. Disponível em <https://exame.abril.com.br/mundo/o-que-os-candidatos-a-presidencia-pensam-sobre-a-crise-na-venezuela/>. Acesso em 26/09/2018.

    7 EXAME. Como os candidatos… 25/09/2018. Disponível em <https://exame.abril.com.br/mundo/como-os-candidatos-a-presidencia-vao-agir-na-guerra-comercial-eua-x-china/>. Acesso em 26/09/2018.

    8 UOL. 17/09/2018. Vice de Bolsonaro, Mourão chama países emergentes de “mulambada”. https://noticias.uol.com.br/politica/eleicoes/2018/noticias/2018/09/17/mourao-vice-de-bolsonaro-chama-aliados-do-brasil-de-mulambada.htm. Acesso: 26/09/2019. CORREIO DA AMAZÔNIA. General Mourão chama países africanos de “mulambada”. https://correiodaamazonia.com/general-mourao-chama-paises-africanos-de-mulambada/ Acesso: 26/09/2019

    9 G1. G1 e CBN entrevistam João Goulart Filho. 14/09/2018. Disponível em: <https://g1.globo.com/politica/eleicoes/2018/ao-vivo/entrevista-joao-goulart-filho-g1-cbn.ghtml> Acesso em: 25/09/2018.

    10 EXAME. Eleições 2018: o que pensa Marina Silva sobre política externa. Publicado em: 22/9/2018. Acesso em: 26/9/2018. Disponível em: https://exame.abril.com.br/mundo/eleicoes-2018-o-que-pensa-marina-silva-sobre-politica-externa/.

    11 Vale mencionar ainda que, no dia 24 de setembro, o juiz Rolando Valcir Spanholo, da 21ª Vara Federal, concedeu liminar que anula a concessão de patente do fármaco Sofosbuvir, da empresa estadunidense Gilead Sciences, que faz parte do tratamento contra a hepatite C. A ação foi de iniciativa de Marina Silva e ia contra a decisão do Instituto Nacional da Propriedade Industrial que impedia a fabricação do genérico no Brasil. MARINA SILVA (site oficial). Justiça atende pedido de Marina… Publicado em: 24/9/2018. Acesso em: 26/9/2018. Disponível em: https://marinasilva.org.br/justica-atende-pedido-de-marina-e-eduardo-e-concede-liminar-que-quebra-patente-de-remedio-contra-hepatite-c/.

    12 EXAME. Eleições 2018: o que pensa Vera Lúcia sobre política externa. 24/09/2018. Disponível em: <https://exame.abril.com.br/mundo/eleicoes-2018-o-que-pensa-vera-lucia-sobre-politica-externa/> Acesso em 25/09/2018.

  • 10 de outubro de 2018

    A eleição no mundo – Monitor 3: 13/09 a 26/09

    Equipe LABMUNDO, NEAAPE e OPSA

    Na Argentina, a disputa eleitoral consolidada em torno das candidaturas de Jair Bolsonaro e Fernando Haddad foi o principal assunto das últimas duas semanas. A permanência de Bolsonaro como líder das pesquisas eleitorais e o forte crescimento de Haddad, aproximando-se de Bolsonaro, recebeu destaque. Outro ponto abordado foram as dificuldades enfrentadas por Bolsonaro, como o movimento das mulheres contra sua candidatura, apesar do grande apoio recebido por evangélicos. Por fim, houve repercussão da primeira entrevista concedida por Bolsonaro no Brasil após ter sofrido o atentado no início de setembro.1

    Na Bolívia, o jornal El Deber noticiou a saudação de Evo Morales, presidente do país, à candidatura de Haddad, a quem o jornal denominou “candidato de última hora”2. No dia 16 de setembro, Bolsonaro foi chamado de “Donald Trump sul-americano”, ultradireitista saudosista da ditadura militar, e “defensor de armas”3. Alguns dias antes, constou no jornal uma notícia sobre uma nova cirurgia à qual havia sido submetido4. No dia 17, veiculou uma declaração de Celso Amorim, ex-chanceler e ex-ministro da Defesa dos governos PT, em que afirma que a democracia brasileira corre perigo, que se Bolsonaro assumisse a administração brasileira teríamos um governo autoritário e violento e que Lula hoje não representa somente uma pessoa, mas um projeto5. No dia seguinte, o jornal noticiou que o Brasil se polarizou entre Haddad e Bolsonaro6 e, no dia 22, afirmou que Haddad e Ciro disputam os votos da esquerda “palmo a palmo”, além de ter chamado Ciro de “caudilho do Ceará” e de ter publicado uma breve biografia da sua vida pública7. Outras temáticas também estiveram presentes, como o crescimento da oposição de mulheres contra Bolsonaro e o movimento #EleNão, em uma reportagem em que as principais razões das manifestações femininas foram explicadas8. Por fim, o jornal veiculou que existe hoje no Brasil um debate sobre o nazismo ser de direita ou de esquerda e a recente publicação de um vídeo da embaixada alemã explicando as origens e o espectro político do nazismo.

    No dia 20 de setembro, a mídia do Chile destacou a iniciativa do Facebook de criar uma equipe para monitorar a possibilidade de interferência em eleições no Brasil. O diretor de eleições e compromisso cívico do Facebook, Samidh Chakrabarti, explicou que “apagou ou bloqueou” 1,3 bilhão de contas falsas no Facebook de outubro de 2017 a março de 2018. O número significaria mais da metade do total de usuários da rede. “A inteligência artificial nos permite bloquear milhões de contas todos os dias”, declarou. No dia 26 de setembro de 2018, também foi destacado o crescimento do apoio da comunidade evangélica a Bolsonaro. A reportagem apontou que o candidato do PSL atrai os votos principalmente devido à rejeição do casamento homossexual e do aborto.9

    Na Colômbia, o jornal de maior circulação, El Tiempo, publicou duas notícias sobre Bolsonaro: uma sobre a melhora no seu estado de saúde, inclusive compartilhando um vídeo gravado pelo candidato no hospital e divulgado no seu Twitter, e outra sobre suas propostas para a economia, destacando a redução de impostos, de regulações e de burocracia. Também repercutiu os resultados de uma pesquisa do DataFolha que indicou incerteza sobre os rumos da corrida presidencial diante de uma subida na rejeição de Bolsonaro e na intenção de votos de Haddad. O jornal também publicou uma coluna escrita pelo cientista político Luiz Felipe D’Ávila, ligado ao PSDB, que afirma que Bolsonaro e Lula são duas lideranças populistas que dominam a eleição e manipulam as emoções do público, ao passo que Alckmin é descrito como um reformista modernizante.10

    A mídia do Equador seguiu cobrindo o estado de saúde de Bolsonaro e a sua consequente melhora, mas salientou que o quadro clínico ainda o deixará fora da campanha no primeiro turno11. A imprensa também repercutiu a entrevista dada por Bolsonaro, ainda convalescente, destacando o apoio que ele deu à pena de morte12. Também repercutiu uma pesquisa do Datafolha, que apontou um crescimento vertiginoso de Haddad, consolidando sua provável posição no segundo turno13. Os jornais também noticiaram a situação política dos ex-presidentes Lula e Dilma. Quanto a Lula, a notícia fez menção ao pedido de vista feito pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, na apelação feita pela defesa do ex-presidente no processo pelo qual foi condenado14. Sobre Dilma, foi noticiada a autorização de sua candidatura ao Senado Federal, pelo estado de Minas Gerais. Após uma série de pedidos de impugnação, o Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais (TRE-MG) decidiu, por quatro votos a três, garantir o direito da ex-mandatária ao pleito15.

    O principal periódico da Espanha, o El País, segue dando grande atenção às “eleições presidenciais mais turbulentas” do Brasil16. Nesse sentido, o jornal lançou um editorial no dia 25 sobre as eleições e o voto brasileiro, em que afirma que o populismo instalou um discurso político destrutivo no país, concretizado na polarização principal entre PT e Bolsonaro17. O tema do populismo e da polarização política, aliás, apareceu mais de uma vez no periódico nas duas últimas semanas18. O jornal pontuou o silêncio dos eleitores jovens e a falta de representatividade que estes percebem nos líderes políticos19; o aumento do fanatismo religioso em decorrência da facada em Bolsonaro20; e as medidas que o escritório central do Facebook tem tomado para evitar interferências nas eleições brasileiras21. Trouxe também uma entrevista de Celso Amorim sobre a corrida presidencial22. Por fim, duas matérias ressaltaram os desafios e o crescimento da candidatura23 de Haddad, “herdeiro acidental de Lula”24.

    Tiveram destaque nos jornais do México e do Peru os seguintes pontos: i) o processo de recuperação médica do candidato Jair Bolsonaro; ii) o respaldo de Bolsonaro à pena de morte e suas promessas de privatização de boa parte das empresas estatais brasileiras; iii) a manifestação de artistas brasileiros contra a candidatura de Bolsonaro; iv) a promessa da Haddad de não conceder indulto ao ex-presidente Lula até que a justiça brasileira reconheça sua inocência; v) os desafios de Haddad para substituir a carisma e liderança de Lula; e vi) a evolução das pesquisas de intenção de voto, que mostram a ascensão do candidato petista. Em coluna no jornal El Universal, o professor mexicano Alberto Aziz Nassif (CIESAS) afirmou que o fenômeno da anti-política chegou ao Brasil e que o país se encontra em uma encruzilhada entre, por um lado, seguir com o corte de direitos e recursos para as maiorias populares, e, por outro lado, regressas a tutela dos direitos humanos e à igualdade.25

    O jornal La Nación, do Paraguai, informou sobre a confirmação da candidatura de Haddad à presidência26. Também destacou que os últimos resultados das pesquisas favorecem Haddad, particularmente pelo Ibope, segundo o qual no segundo turno Haddad venceria Bolsonaro com 43% dos votos contra 37%. Por fim, reportou um manifesto contra Bolsonaro feito por intelectuais, artistas, esportistas e empresários devido à ameaça que ele representaria à democracia brasileira27.

    Em Portugal, teve grande repercussão no jornal Diário de Notícias a afirmação de Bolsonaro de que ele duvida da transparência do sistema eleitoral brasileiro. O candidato também lamentou que o Supremo Tribunal Federal tenha derrubado a possibilidade de que as urnas fossem auditadas através do voto impresso 28. Igualmente, reclamou do crescimento Haddad nas pesquisas eleitorais por não representar o que ele sentia nas ruas. Afirmou que o povo estaria do lado de sua candidatura e que não seria possível aceitar uma fraude como resultado29.

    No Uruguai, o grande destaque foi a polarização da disputa eleitoral entre Bolsonaro e Haddad. As principais notícias referem-se ao crescimento de Haddad nas pesquisas e à manutenção de Bolsonaro na liderança, que conta com forte apoio dos evangélicos. Outra notícia destacou a cautela do mercado financeiro diante do quadro eleitoral, já que há receio tanto com o radicalismo de Bolsonaro quanto com a falta de experiência de Haddad.30

    Na Venezuela, em 18 de setembro, o jornal El Nacional noticiou a declaração de Bolsonaro acerca da possibilidade de fraude eleitoral no pleito presidencial caso houvesse vitória de Haddad31. No dia 25, o jornal também publicou uma coluna assinada pelo jornalista Carlos Alberto Montamer e intitulada “América Latina y el nuevo ciclo populista”. O texto faz referência ao contexto regional, levantando a possibilidade de retorno do peronismo ao poder na Argentina, assim como da vitória de candidatos extremistas no Brasil, que lideram as pesquisas. Segundo o autor, Haddad é um professor universitário muy radical” que poderia iniciar um governo populista de esquerda, enquanto Bolsonaro, saudoso da ditadura militar, traria ao país um populismo de direita. O texto refere-se também a outros líderes criticados por autoritarismo que se mantêm no poder na América Latina e afirma que López Obrador, o novo presidente mexicano, venceu as eleições legitimamente, mas que não se espera dele um governo prudente32.

    Não foram encontradas menções à eleição em África do Sul, China, Índia e Rússia.

    1 CLARÍN. Elecciones en Brasil: desde el hospital, Jair Bolsonaro avaló otra vez la pena de muerte y dijo que nunca promovió el odio, 25/09/2018. Acesso em: 26/09/2018. Disponível em: https://www.clarin.com/mundo/elecciones-brasil-hospital-jair-bolsonaro-avalo-vez-pena-muerte-dijo-promovio-odio_0_RoXmpm5xZ.html. CLARÍN. Elecciones en Brasil: el tono “paz y amor” de Fernando Haddad y el plan de Jair Bolsonaro contra las protestas, 26/08/2018. Acesso em: 26/09/2018. Disponível em: https://www.clarin.com/mundo/elecciones-brasil-tono-paz-amor-fernando-haddad-plan-jair-bolsonaro-protestas_0_A2M1Mu9AM.html. CLARÍN. “Dios por encima de todos”: los evangelistas que apoyan a Jair Bolsonaro, 25/09/2018. Acesso em: 26/09/2018. Disponível em: https://www.clarin.com/mundo/dios-encima-evangelistas-apoyan-jair-bolsonaro_0_hES1OM_D4.html. CLARÍN. Brasil: Haddad crece en las encuestas, Bolsonaro se estanca y intenta hacerle frente al rechazo feminino, 24/09/2018. Acesso em: 26/09/2018. Disponível em: https://www.clarin.com/mundo/brasil-haddad-crece-encuesta-bolsonaro-intenta-hacerle-frente-rechazo-femenino_0_7c9fX795w.html. CLARÍN. Elecciones en Brasil: Bolsonaro y Haddad se consolidan como favoritos, 20/09/2018. Acesso em: 26/09/2018. Disponível em: https://www.clarin.com/mundo/elecciones-brasil-bolsonaro-haddad-consolidan-favoritos_0_DJY_aufvf.html. CLARÍN. Se aclara el panorama electoral en Brasil: Jair Bolsonaro y Fernando Haddad se consolidan en primero y segundo lugar, 17/09/2018. Acesso em: 26/09/2018. Disponível em: https://www.clarin.com/mundo/aclara-panorama-electoral-brasil-jair-bolsonaro-fernando-haddad-consolidan-primero-segundo-lugar_0_rJwwsBpum.html.
    2 EL DEBER. Evo saluda designación de Haddad como candidato y resalta “desprendimento” de Lula. Publicado em: 12/9/2018. Acesso em: 17/9/2018. Disponível em: https://www.eldeber.com.bo/mundo/Evo-saluda-designacion-de-Haddad-como-candidato-20180912-0004.html.
    3 EL DEBER. Jair Bolsonaro el Trump sudamericano que sacude a Brasil. Publicado em: 16/9/2018. Acesso em: 18/9/2018. Disponível em: https://www.eldeber.com.bo/mundo/Jair-Bolsonaro-el-Trump-sudamericano-que-sacude-a-Brasil-20180915-0036.html.
    4 EL DEBER. Someten a Bolsonaro, candidato a la presidencia de Brasil, a una cirurgia. Publicado em: 12/9/2018. Acesso em: 17/9/2018. Disponível em: https://www.eldeber.com.bo/mundo/Elecciones-Bolsonaro-es-sometido-a-otra-cirugia-20180912-0083.html.
    5 EL DEBER. Celso Amorim: “La democracia brasileña corre peligro, ya fue afectada”. Publicado em: 17/9/2018. Acesso em: 18/9/2018. Disponível em: https://www.eldeber.com.bo/mundo/Celso-Amorim-quotLa-democracia-brasilena-corre-peligro-ya-fue-afectadaquot–20180917-9555.html.
    6 EL DEBER. Brasil se polariza entre Bolsonaro y Haddad. Publicado em: 18/9/2018. Acesso em: 18/9/2018. Disponível em: https://www.eldeber.com.bo/mundo/Brasil-se-polariza-entre-Bolsonaro-y-Haddad-20180917-9586.html.
    7 EL DEBER. Haddad y Ciro disputan el voto de la izquierda palmo a palmo. Publicado em: 22/9/2018. Acesso em: 23/9/2018. Disponível em: https://www.eldeber.com.bo/mundo/Haddad-y-Ciro-Gomes-disputan-el-voto-de-la-izquierda-palmo-a-palmo-20180921-7534.html.
    8EL DEBER. Jair Bolsonaro: por qué las mujeres le están diciendo #EleNão (Él No) al candidato de ultraderecha a la presidencia en Brasil. Publicado em: 20/9/2018. Acesso em: 24/9/2018. Disponível em: https://www.eldeber.com.bo/bbc/Jair-Bolsonaro-por-que-las-mujeres-le-estan-diciendo-EleNo-El-No-al-candidato-de-ultraderecha-a-la-presidencia-en-Brasil-20180920-13581.html.
    9 ADN RADIO. 20/09/2018. Facebook crea equipo para vigilar injerencia en elecciones de Brasil y EEUU. http://www.adnradio.cl/noticias/internacional/facebook-crea-equipo-para-vigilar-injerencia-en-elecciones-de-brasil-y-eeuu/20180920/nota/3801902.aspx. Acesso: 26/09/2018. EL PINGÜINO. 26/09/2018. Evangélicos de Brasil se cuadran con Bolsonaro de cara a las elecciones. https://elpinguino.com/noticia/2018/09/26/evangelicos-de-brasil-se-cuadran-con-bolsonaro-de-cara-a-las-elecciones. Acesso: 26/09/2018.
    10 EL TIEMPO. El candidato brasileño Bolsonaro sale de cuidados intensivos. 16/09/18. Disponível em: https://www.eltiempo.com/mundo/latinoamerica/bolsonaro-sale-de-cuidados-intensivos-269198. Acesso em 26/09/18. EL TIEMPO. Bolsonaro reafirma su campaña en el mercado brasileño. 19/09/18. Disponível em: https://www.eltiempo.com/mundo/latinoamerica/el-ultraderechista-bolsonaro-refuerza-sus-mensajes-de-agrado-al-mercado-270446. Acesso em 26/09/18. D’AVILA, Luiz Felipe. La tentación populista de Brasil en época de elecciones. El Tiempo, 15/09/18. Disponível em: https://www.eltiempo.com/mundo/latinoamerica/la-tentacion-populista-de-brasil-269016. Acesso em 26/09/18. EL TIEMPO. Los dos golpes que voltearon la carrera por la presidencia en Brasil. 15/09/18. Disponível em: https://www.eltiempo.com/mundo/latinoamerica/el-panorama-de-la-carrera-por-la-presidencia-en-brasil-269014. Acesso em 26/09/18.
    11 EL COMERCIO. Candidato a presidencia de Brasil Jair Bolsonaro, sometido a drenaje intestinal. https://www.elcomercio.com/actualidad/candidato-presidencia-jairbolsonaro-drenajeintestinal-apunalamiento.html . Publicado em 20/09/2018. Acesso em 26/09/2018. EL COMERCIO. Bolsonaro mejora pero ve imposible volver a campaña antes de las elecciones. https://www.elcomercio.com/actualidad/bolsonaro-brasil-candidato-elecciones.html . Publicado em 22/09/2018. Acesso em 26/09/2018.
    13 EL COMERCIO. Sondeo confirma polarización en Brasil entre ultraderechista y sucesor Lula. https://www.elcomercio.com/actualidad/sondeo-polarizacion-brasil-ultraderechista-elecciones.html . Publicado em 20/09/2018. Acesso em 26/09/2018.
    14 EL COMERCIO. Juez de Supremo pide más tiempo para analizar recurso sobre libertad de Lula. https://www.elcomercio.com/actualidad/juez-supremo-recurso-lula.html . Publicado em 14/09/2018. Acesso em 26/09/2018.
    15 EL COMERCIO. Aprueban candidatura a Senado de Dilma Rousseff en cerrada votación. https://www.elcomercio.com/actualidad/aprobacion-candidatura-senado-dilmarousseff-votacion.html . Publicado em 17/09/2018. Acesso em 17/09/2018.
    16 EL PAÍS. Las presidenciales más turbulentas de Brasil. 23/09/2018. Disponível em: <https://elpais.com/internacional/2018/09/20/america/1537463674_814812.html> Acesso em 25/09/2018.
    17 EL PAÍS. El voto brasileño. 25/09/2018. Disponível em: <https://elpais.com/elpais/2018/09/24/opinion/1537810061_271517.html> Acesso em: 26/09/2018
    18 EL PAÍS. El rápido regreso del temido populismo. 20/09/2018. Disponível em: <https://elpais.com/internacional/2018/09/20/argentina/1537396595_029444.html> Acesso em: 26/09/2018.
    19 EL PAÍS. El triste silencio de los 50 millones de jóvenes brasileños. 17/09/2018. Disponível em: <https://elpais.com/internacional/2018/09/17/america/1537221313_009511.html> Acesso em 25/09/2018.
    20 EL PAÍS. Crece el clima de fanatismo religioso en torno al atentado de Bolsonaro. 24/09/2018. Disponível em: <https://elpais.com/internacional/2018/09/25/actualidad/1537836344_067269.html> Acesso em: 26/09/2018.
    21 EL PAÍS. Facebook anuncia su mayor esfuerzo estratégico desde el paso de ordenador a móvil. 20/09/2018. Disponível em: <https://elpais.com/tecnologia/2018/09/19/actualidad/1537385431_090791.html> Acesso em: 26/09/2018.
    22 EL PAÍS. “El pueblo brasileño debe despertar ante el peligro que supone Bolsonaro”. 18/09/2018. Disponível em: <https://elpais.com/internacional/2018/09/18/actualidad/1537290700_130265.html> Acesso em: 26/09/2018.
    23 EL PAÍS. El sucesor de Lula despega en las encuestas. 20/09/2018. Disponível em: <https://elpais.com/internacional/2018/09/18/actualidad/1537290700_130265.html> Acesso em: 26/09/2018.
    24 EL PAÍS. Haddad, el heredero accidental de Lula que tendrá que aprender a hablar a los pobres de Brasil. 13/09/2018. Disponível em: <https://elpais.com/internacional/2018/09/10/actualidad/1536603104_581100.html> Acesso em: 26/09/2018.
    25 EL COMERCIO. Fernando Haddad y el difícil reto de reemplazar a Lula, 13/09/2018. Disponível em: https://elcomercio.pe/mundo/latinoamerica/brasil-fernando-haddad-dificil-reto-reemplazar-lula-da-silva-noticia-556857. Acesso em: 30/09/2018. EL COMERCIO. Jair Bolsonaro retorna a cuidados intensivos tras nueva operación, 13/09/2018. Disponível em: https://elcomercio.pe/mundo/latinoamerica/brasil-jair-bolsonaro-retorna-cuidados-intensivos-nueva-operacion-noticia-556998. Acesso em: 30/09/2018. EL COMERCIO. Brasil: Bolsonaro muestra “buena evolución clínica” y sale de cuidados intensivos, 16/09/2018. Disponível em: https://elcomercio.pe/mundo/latinoamerica/brasil-jair-bolsonaro-muestra-buena-evolucion-clinica-sale-cuidados-intensivos-noticia-558307. Acesso em: 30/09/2018. EL COMERCIO. Brasil: Haddad se dispara y alcanza el segundo lugar en preferencia de voto, 17/09/2018. Disponível em: https://elcomercio.pe/mundo/latinoamerica/brasil-haddad-dispara-alcanza-segundo-lugar-preferencia-voto-noticia-558732, Acesso em: 30/09/2018. EL COEMRCIO. Brasil: Haddad no indultará a Lula si gana las elecciones presidenciales, 18/09/2018. Disponivel em: https://elcomercio.pe/mundo/latinoamerica/brasil-fernando-haddad-niega-posible-indulto-lula-da-silva-gana-presidenciales-noticia-nndc-558944. Acesso em: 30/09/2018; EL COMERCIO. Bolsonaro promete privatizar “gran parte” de las empresas estatales de Brasil, 23/09/2018. Disponível em: https://elcomercio.pe/mundo/latinoamerica/jair-bolsonaro-promete-privatizar-gran-parte-empresas-estatales-brasil-noticia-560696. Acesso em: 30/09/2018. EL COMERCIO. Brasil: Jair Bolsonaro respalda la pena de muerte y niega promover mensajes de ódio, 24/09/2018. Disponível em: https://elcomercio.pe/mundo/latinoamerica/brasil-jair-bolsonaro-respalda-pena-muerte-niega-promover-mensajes-odio-noticia-561148. Acesso em: 30/09/2018. EL COMERCIO. Brasil: Haddad sigue creciendo y derrotaría a Bolsonaro en segunda vuelta, 24/09/2018. Disponível em: https://elcomercio.pe/mundo/elecciones/brasil-haddad-sigue-creciendo-derrotaria-bolsonaro-segunda-vuelta-noticia-nndc-561149. Acesso em: 30/09/2018. EL UNIVERSAL. Brasil en la encrucijada, 18/09/2018. Disponível em: http://www.eluniversal.com.mx/articulo/alberto-aziz-nassif/nacion/brasil-en-la-encrucijada. Acesso em: 30/09/2018. EL UNIVERSAL. Bolsonaro y Haddad encabezan encuestas, 18/09/2018. Disponível em: http://www.eluniversal.com.mx/mundo/bolsonaro-y-haddad-encabezan-encuestas. Acesso em: 30/09/2018. EL UNIVERSAL. Nunca me he sentido tan bien, dice candidato de Brasil apuñalado. Disponível em: http://www.eluniversal.com.mx/mundo/nunca-me-he-sentido-tan-bien-dice-candidato-presidencial-de-brasil-apunalado. Acesso em: 30/09/2018. EL UNIVERSAL. Candidato presidencial apuñalado en Brasil sali de cuidados intensivos, 22/09/2018. Disponível em: http://www.eluniversal.com.mx/mundo/candidato-presidencial-apunalado-en-brasil-sale-de-cuidados-intensivos. Acesso em: 30/09/2018. EL UNIVERSAL. Bolsonaro privatizará empresas estatales, 24/09/2018. Disponível em: http://www.eluniversal.com.mx/mundo/bolsonaro-privatizara-empresas-estatales. Acesso em: 30/09/2018. EL UNIVERSAL. Artistas juntan firmas contra ultraderecha em Brasil, 25/09/2018. Disponível em: http://www.eluniversal.com.mx/mundo/artistas-juntan-firmas-contra-la-ultraderecha-en-brasil. Acesso em: 30/09/2018.
    26 LA NACIÓN. Lula ungirá a Haddad como candidato a las presidenciales en Brasil. 11/09/2018. Disponível em: https://www.lanacion.com.py/mundo/2018/09/11/lula-ungira-a-haddad-como-candidato-a-las-presidenciales-en-brasil/. Acesso em: 26/09/2018.
    27 LA NACIÓN. Rechazan candidatura del ultraderechista Bolsonaro. 25/09/2018. Disponível em: https://www.lanacion.com.py/mundo_edicion_impresa/2018/09/25/rechazan-candidatura-del-ultraderechista-bolsonaro/. Acesso em: 26/09/2018.
    28 DIÁRIO DE NOTÍCIAS. “ Brasil/Eleições: Bolsonaro desconfia do sistema eleitoral e da subida do PT nas sondagens. Publicado em 07/10/2018. Acesso em 18/09/2018. Disponível em: https://www.dn.pt/lusa/interior/brasileleicoes-bolsonaro-desconfia-do-sistema-eleitoral-e-da-subida-do-pt-nas-sondagens-9928165.html
    29 DIÁRIO DE NOTÍCIAS. “ Brasil/Eleições: Bolsonaro desconfia do sistema eleitoral e da subida do PT nas sondagens. Publicado em 07/10/2018. Acesso em 18/09/2018. Disponível em: https://www.dn.pt/lusa/interior/brasileleicoes-bolsonaro-desconfia-do-sistema-eleitoral-e-da-subida-do-pt-nas-sondagens-9928165.html
    30 EL PAÍS. El candidato de Lula se acerca a Bolsonaro y ganaría en el balotaje, 26/09/2018. Acesso em: 26/09/2018. Disponível em: https://www.elpais.com.uy/mundo/candidato-lula-acerca-bolsonaro-ganaria-balotaje.html. EL PAÍS. “Dios por encima de todos”, los evangélicos que apoyan a Bolsonaro en Brasil, 25/09/2018. Acesso em: 26/09/2018. Disponível em: https://www.elpais.com.uy/mundo/dios-todos-evangelicos-apoyan-bolsonaro-brasil.html. EL PAÍS. Brasil: cautela en inversiones por incertidumbre electoral, 23/09/2018. Acesso em: 26/09/2018. Disponível em: https://www.elpais.com.uy/mundo/brasil-cautela-inversores-incertidumbre-electoral.html. EL PAÍS. Encuesta reafirma a los favoritos en Brasil, 21/09/2018. Acesso em: 26/09/2018. Disponível em: https://www.elpais.com.uy/mundo/encuesta-reafirma-favoritos-brasil.html. EL PAÍS. Brasil polarizado a días de las elecciones: Bolsonaro o Haddad, 20/09/2018. Acesso em: 26/09/2018. Disponível em: https://www.elpais.com.uy/mundo/brasil-polarizado-dias-elecciones-bolsonaro-haddad.html

    31EL NACIONAL. Bolsonaro advierte un fraude electoral en Brasil. Publicado em 18/09/2018. Acesso em 26/09/2018. Disponível em: http://www.el-nacional.com/noticias/mundo/bolsonaro-advierte-fraude-electoral-brasil_252180.

    32EL NACIONAL. América Latina y el nuevo ciclo populista. Publicado em 25/09/2018. Acesso em 26/09/2018. Disponível em http://www.el-nacional.com/noticias/columnista/america-latina-nuevo-ciclo-populista_253005.

  • 3 de outubro de 2018

    Evento: Uma Segura Migração , Ordenada e Regular?

    No dia 08/10/2018, as 16h, o Grisul organiza o evento “Uma Segura Migração , Ordenada e Regular? A configuração securitária das políticas de controle das migrações e as fronteiras na América do Sul”, com participação de Eduardo Domenech. O evento será na Escola de Ciência Política da UNIRIO, que fica na rua Voluntários da Pátria, 107 – Botafogo, Rio de Janeiro.